terça-feira, 4 de outubro de 2011

DUAS SEM NOME


Tanto frio é no meu leito 
Que faz o sonho hesitar 
Não há no mundo um lençol 
Que possa a minha alma esquentar 

Pêlos se erguem no corpo
Onde a brisa toca de leve
A lágrima que aquece o rosto
Tem o efeito muito breve.
 

Os dias deveriam ser domingo
Pra que eu amanhecesse em sua cama
Por isso deveriam ser domingo
Cada um dos sete dias da semana.




Cora Rufino


**


De épocas atrás

2 comentários:

Bella disse...

teu lirismo é tão lindo.
tão leve
tão cora...
bjs

Alice Vieira disse...

lindíssimo Cora!