quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Rio

Sábado fui ao Rio de Janeiro, voltei hoje.

Fiz aniversário início desse mês, e assim como no ano passado (já que estou sem família, sem "nada") resolvi me dar de presente uma experiência.

É meu segundo aniversário aqui na nova cidade, e me dei conta de que não conhecia o mar. Que os lugares para onde costumo viajar ficam longe do mar.
Minha prima, de Roraima, foi fazer um show no Rio e essa era a desculpa perfeita para eu me mandar daqui por 4 dias.

Avisei no trabalho, na faculdade, no ateliê, em casa. Para todos que quisessem saber:
- Vou conhecer o mar!
A chefe falou:
- Isso será descontado do seu salário.
Eu nem liguei. Foi em Ipanema, com duas garota de Barretos -  que conheci no Rio - onde tive a minha experiência marítma.

Na verdade já tinha visto o mar. Em 1997, quando eu passava de carro por alguma rua da Venezuela caribenha, com meu pai. Nós paramos, fomos até a beira da praia e ele sugeriu que eu provasse da água, para atestar que era salgada mesmo.

Aprendi a nadar mesmo foi no rio. O rio dos fundos do quintal, em Roraima. O Rio Branco. Onde a correnteza segue sempre pro mesmo lado, a água não tem gosto de tempero e eu podia flutuar, seguindo retilínea pelo fluxo das águas, até onde tivesse coragem de ir.
O rio eu conheço.
Mas o Rio, não.

Mergulhei no mar, senti o seu sabor salgado. Ele me puxou, eu o enganei, depois ele me enganou. Me jogava de volta para a praia e eu voltava pra ele aos pulos.
Não pude flutuar estática como fazia nos rios e igarapés. O mar não me deixou sossegar. Me obrigava a interagir com ele, a encará-lo, a abraçá-lo, a falar com ele. Eu gargalhava!




O mar é mais extrovertido que o rio que, tímido, apenas me embalava enquanto eu me perdia divagando, quase levitando, na superficie.

Saí da água de Ipanema temperada e feliz. Caminhei na orla, catei conchinhas, e esqueci que tinha sal pelo meu corpo. Assei minha perna na caminhada. Foi mais uma lembrança do interativo mar, para que eu diga: "eu vou voltar".

3 comentários:

Janaína da Mansão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raysner d' Paula disse...

sempre uma boa pedidia!

Luhanna del Rey disse...

Hoje eu acordei com a blogosfera na cabeça. Me lembrei que fazia tempos que não perambulava por aqui...enfim! O lance do mar foi mais interessante do que você contou no dia que tava sem alça. Mó legal!
P.s.: Isso aqui me parece um bom álbum...
"Luhanna del Rey"